• Acesso empresa
    Brasil

Decks em madeira e PVC dividem opiniões

Autor: Piscinas.com 09 Dezembro 2013 Acessórios para piscinas
Decks em madeira e PVC dividem opiniões A madeira, que demanda cuidados constantes, compete com materiais sintéticos de fácil manutenção
Os clientes são cada vez mais exigentes e, evidentemente, querem controlar cada detalhe do projeto e acabamento da área da piscina. Tradicionalmente feitos em madeira, os decks também podem ser encontrados na versão PVC, um tipo de plástico que oferece resistência e durabilidade à área de lazer. Ambas as opções vêm dividindo espaço em um mercado que não para de crescer.

Há arquitetos e especialistas que apontam o deck de PVC como uma opção mais sustentável, por não ser consequência de desmatamento. Na contramão estão aqueles que defendem a madeira como a melhor opção para o meio ambiente, por não agravar o efeito estufa, já que a plantação de árvores para este fim, se manejada de forma correta, ajuda inclusive a fixar carbono na atmosfera durante seu crescimento.

Cada tipo de revestimento tem suas propriedades e são capazes de provocar efeitos determinados no ambiente. A madeira, por exemplo, em espaços abertos de clima quente pode funcionar como sombreador. Entretanto, esse tipo de material necessita de ventilação e não pode estar tão próximo ao chão, já que a retenção de água poderia gerar o apodrecimento da mesma. Nesse caso seria necessário o uso de recursos como telha metálica ou concreto.

Outro fator é a necessidade de constante manutenção, para evitar empenamentos, descoloração e desgaste com a intempérie. Os materiais sintéticos que imitam a madeira, como é o caso do PVC, vendem exatamente essa minimização da manutenção.

O PVC também atrai por sua durabilidade, superior a outros materiais. Trataria de um revestimento ideal para áreas molhadas, por sua característica antiderrapante (com frisos). Assim como a madeira, está disponível em diferentes tonalidades e texturas. A superfície de PVC não esquenta com a incidência dos raios solares e pode ser recortada para fazer curvas ou encontros em ângulos de 45%, por exemplo.

A limpeza também seria outro destaque, por ser um processo fácil, devendo ser feita com detergente neutro e água. Quanto à durabilidade, a madeira por sua vez poderia durar de 10 a 30 anos, dependendo das condições climáticas. A diferença de custo entre essa e o PVC poderia ser fator decisivo, já que o último é um recurso mais caro que a maioria das madeiras disponíveis para revestimento.

De acordo com a Simétrica Piscinas, metade dos decks confeccionados pela empresa são de madeira ecológica. Os demais estariam divididos entre madeira, piso porcelanato, piso térmico e pedra natural. A primeira opção custa em média R$ 230 o metro quadrado, sendo a pedra natural a opção mais barata, em média R$ 80 o metro quadrado.

"A madeira ecológica tem sido a mais buscada por ter uma durabilidade maior e manutenção zero. Madeira de lei como Pau Darco e Camarú requerem uma manutenção de 6 a 6 meses, para garantir a resistência ao sol. As ventas em 2013 vão bem e experimentamos um aumento de 30% quando se aproximam os meses de outubro, novembro, dezembro".

A Tecniágua Piscinas destaca que muitos clientes não contratam um deck completo, apenas fazem um acabamento de um lado da piscina ou próximo ao spa. "Mas quem faz fica bonito, porém exige manutenção periódica". A empresa trabalha com madeira de Itaúba ou pinus e também com pedra cimentícia imitando madeira. A opção mais procurada quando se trata de deck é a madeira natural, mas sempre existe a manutenção.

"Se a madeira não estiver bem seca, ela pode rachar com o tempo, necessitando substituição".
Outras opções para o deck

Totallgreen.png

Deck em madeira ecológica para a área da piscina

Também é possível encontrar empresas que trabalham com o bambu, a madeira ecológica e a WPC. No caso do bambu, o impacto ambiental é menor que a madeira (cresce muito mais rápido e se reproduz sem necessidade de replantio) e, devido à grande quantidade de fibra que contém, torna-se uma opção altamente resistente. Para evitar uma superfície escorregadia, existe a possibilidade de fazer frisos no revestimento.

A madeira plástica (WPC) seria um composto de 10% de serragem de madeira e 90% de plástico reciclado, originando uma superfície rugosa, antiderrapante, própria para áreas externas. O custo seria similar ao da madeira ecológica (100% plástico ou plástico com fibras naturais recicladas, como o algodão). A aparência desses materiais seria a mais próxima a madeira natural.

Fotos (ordem de aparição): Tecniágua Piscinas e Totallgreen

Autor: Piscinas.com

Deixe seu comentário

Ver

Comentários (6)

  • Olá Reynaldo, consiga respostas mais rápidas publicando sua dúvida na seção "Perguntas". Att. Equipe Piscinas.com

    Por Piscinas.com
  • Numa piscina de 6x3, quanto fica para colocar deck de 3 metros em volta? Qual o valor do frete Cep 86400-000?

    Por Reynaldo
  • Olá Oleone, para conseguir uma resposta mais rápida, melhor contatar as empresas especializadas nesse serviço através da seção "Empresas". Os resultados podem ser filtrados por localidade. Att. Equipe Piscinas.com

    Por Piscinas.com
  • Gostaria de um orçamento para uma piscina de 6/3 metrrs com deck de madeira, o mais barato.

    Por Oleone
  • O deck de WPC tem em sua composição 60% de madeira, 30% de plástico reciclado, e 10% de aditivos, entre eles: anti-uv, anti-chamas e pigmento para a cor madeira. A mistura desses dois matérias resulta em um produto biônico com estrutura molecular muito superior aos outros materiais existentes. A densidade do WPC é de 1300 kg por m3, o do PVC é 900kg e da madeira é de no máximo 700kg. O WPC têm o charme e a originalidade da madeira e tem plástico suficiente para se tornar impermeável e o anti-uv para aguentar o nosso forte sol e o melhor não é inflamável.

    Por Fabiano
  • Ao meu ver, tudo pela sustentabilidade. Apoio completamente. Seja bem-vindo deck de pvc.

    Por Luiz